quinta-feira, 23 de março de 2017

A Síndrome do Liberal Pobre



Imagine um grupos de bois defendendo os direitos do dono de um açougue; uma bando de cães protegendo o funcionário da carrocinha; os animais silvestres se unindo pela causa dos traficantes de animais; as galinhas lutando pelos ideiais e necessidades das granjas; os insetos agindo em apoio aos exterminadores. Parece estranho? Absurdo? Normal?

Agora imagnie trabalhadores que defendem os privilégios de seus empregadores! Junte isso á uma mídia que paga por esses empregadores! Ligando os pontos você entenderá o que aconteceu no Brasil de 2015 para cá. Movida por uma mídia para pela empresariado, parte da sociedade se mobilizou para derrubar um governo e instalar um novo, apoiado pelo mesmo empresariado. Esse fenômeno foi classificado por este que escreve de "Síndrome do Liberal Pobre". Trata-se de uma epidemia que atinge sobretudo o Sul e Sudeste do país. Ela está se alastrando muito rápido e provocando diversos estragos por onde passa. Ela se manifesta através do machismo, do analfabetismo político, da homofobia, do ufanismo e da superficialidade. Pessoas contaminadas com essa síndrome não conseguem ver além das aparências, aceita tudo que lhe é dito (mas tem que ser através do telejornalismo, rádio ou algumas capas de revistas) possui uma cegueira que só permite que ela veja os crimes e os erros do PT, impossibilitando de criticar qualquer outra coisa.

Para entender melhor esse mal, uma breve explanação sobre o liberalismo. Essa doutrina econômica pressupõe que o mercado funciona como um organismo vivo e que se autorregula pela lei da oferta e procura. O Estado deve ficar de fora desse sistema a fim de não contaminá-lo. Ao longo do século XX surge o Neoliberalismo, reforçado pela ideia que o Estado deve ser mínimo, se desfazendo de suas obrigações reduzindo sua carga tributária. Seguir essa doutrina significaria crescimento econômico e prosperidade para todos. Sim! Para todos! Se existem excluídos no Estado liberal é por culpa deles mesmos, pois no liberalismo todos são livres para competir e vencer, cabendo a cada o ônus pelo seu fracasso. Infelizmente esse ônus acaba recaíndo sobre as minorias: pobres, negros, homossexuais, trabalhadores, mulheres, crianças. Seria por mera incompetência? Segundo os portadores da Síndrome do Liberal Pobre, sim.

Normalmente, os portadores da síndrome organizam e participam de protestos e manifestações e militam na internet defendendo pautas como a reforma da Previdência, a Lei da Terceirização, a reforma do Ensino Médio, os cortes em gastos com saúde e educação, o fim da CLT e acham que o empresário deve ser bem tratado no país. Costumam ter delírios imaginando que a proteção ao trabalhador sufoco os coitadinhos dos empresários e aumenta o desemprego.

Essas pessoas passam o tempo defendendo seus patrões nas redes sociais, esbravejam contra aqueles que pensam o contrário, não entendem a importância de uma greve ou paralização, são adoradores de um determinado político de tendências nazi-fascistas, superficializam as lutas do feminismo e classifica qualquer ofensa racista como vitimismo.

Agora a pergunta principal: Essa doença tem cura? Sim! Fique tranquilo! Mas o tratatamente deve ser persistente e não pode ser interrompido. Dosagens homeopáticas de estudos de História, Geografia, Sociologia e Filosofia podem resolver o problema, mas é claro que o paciente deve reconhecer sua condição. Contudo, o governo, pago pelo empresariado, está limitando o acesso a esses recursos que podem despertar a consciência do doente e fazê-lo reconhecer o mal que ele fez.


terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Motivos que comprovam que você pagou o pato



Quase um ano após o afastamento de Dilma Rousseff, algumas análises mostram que o tiro saiu pela culatra ao desejarmos sua saída. Vejam a seguir sete motivos que comprovam que fomos enganados e que pouco nos importamos com isso:

1 - Pelo fim da corrupção?

Uma das principais bandeiras levantadas durantes os protestos era a luta contra a corrupção. Limpar o governo dos "corruPTos" era fundamental para que o país se reorganizasse e recuperasse sua moral. Entretanto, a corrupção não só continua como boa parte dos corruptos que não faziam parte do governo passaram a fazer. A Lava Jato sofre um risco de abafamento e o juiz que foi indicado para ocupar a vaga de Teori faz parte da equipe atual do governo federal o que, no mínimo, é estranho.

Leia o artigo completo AQUI

domingo, 19 de fevereiro de 2017

O brasileiro e sua indignação seletiva



Ano de 2015. Mal começava o segundo mandato de Dilma Rousseff e o povo (segundo a grande mídia) já não a queria mais. Gigantescas manifestações - convocadas por movimentos conservadores, endossadas por políticos dos partidos derrotados na corrida presidencial de 2014, patrocinada por grandes empresários e promovidas pela mídia digital, impressa e televisiva - pararam o país. As imagens eram maravilhosas mostrando aquela massa pintada de verde e amarelo, com a camisa da seleção brasileira demonstravam seu ufanismo mal direcionado e uma certa ignorância.

Colocavam nos, até então, 14 anos de governo PT a culpa pela crise que o país enfrentava, pelo desemprego crescente e pela corrupção que, no entender dos menos atentos, era a maior da história do país. Cada medida tomada pelo governo pressionado era duramente rejeitada e criticada. Parecia que nada poderia satisfazer a massa (manobrada pela mídia) dar algum crédito à Dilma Rousseff. Fazia-se necessário mudar esse governo à força e isso aconteceu em 2016. Assume o vice. Uma onde de otimismo atinge o noticiário e o mercado. As medidas impopulares não pareciam mais ser tão ridículas.

A traição àqueles que apoiaram a subida de direita pela porta dos fundos veio instantaneamente. Dentre os ministros nomeados pelo novo presidente, alguns eram investigados pela Lava Jato. Não ouvi nenhuma panela bater; o governo acena com a reforma previdenciária aumentando a idade mínima para aposentadoria. Alguns murmúrios e choradeiras, mas nenhum patriota de verde e amarelo nas ruas; a reforma trabalhista nos promete tirar boa parte dos direitos conquistados ao custo do sangue de muitos no passado. O brasileiro parece surdo, mudo e cego; As mudanças no Ensino Médio tendem a segregar e institucionalizar a "educação do rico" e a "educação do pobre". Quem liga?

Mas, em meio a todo esse retrocesso há um lampejo de "preocupação" com a corrupção no país. Enquanto todos ignoram o que foi exposto no parágrafo acima, a mídia se preocupa em noticiar as investigações contra o Lula. Isso mesmo! Uma pessoa que não ocupa mais cargos no governo cujas decisões não afetará nenhum brasileiro tem mais espaço na mída do que a corrupção que, por incrível que pareça, continua ocorrendo após o PT deixar o poder. Diante de tudo isso, podemos concluir que tudo não passou de uma ilusão, que o brasileiro não liga para corrupção e que sempre ficamos indignados com aquilo que mídia (paga pelo empresariado) nos indicar.

Acompanhe o Atualidade em Foco nas redes sociais

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Consciência Negra sim!



Estamos em meio a mais um feriado. Esse, sempre que comemorado, acaba causando polêmica. Não é incomum as pessoas questionarem o nome da data comemorativa e alegar que a comemoração nada mais é do que um "racismo inverso". ...

O texto completo está disponível em Blsting News BR

Acesse o Canal Atualidade em Foco no Youtube

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Por que não debatemos a democracia?





Democracia!

Afinal, quem é ela? No que consiste essa palavra que remete a algo que nos parece sagrado, indissolúvel, dogmático? Na religião política, essa é verdade que ninguém pode contestar, a divindade mais bela e perfeita, que jamais deverá ser imaculada. Ela compõe dentro do sistema global a dualidade onde a ditadura é o "coisa ruim". ...

Leia o texto completo em Blasting News BR.

Leia mais:

sábado, 1 de outubro de 2016

O manobrista das massas



O Brasil realmente está mudando. E pra pior! Apostamos que os problemas do país, que nos assolam por séculos pareciam estar sendo causados por apenas uma pessoa ou um partido. Pensamos que sem ele nos veríamos livres da corrupção, não teríamos mais de nos preocupar com as injustiças e automaticamente veríamos nossa economia crescer, os empregos brotarem e o bem estar social vigorar em um mundo maravilhoso cheio de arco-íris e unicórnios! 

Texto completo em Blasting News BR

Leia Mais:

domingo, 25 de setembro de 2016

A destruição do Ensino Médio



O novo governo parece não ter limites em sua jornada para desmobilizar e submeter a classe trabalhadora. Depois de acenar com a revisão das leis trabalhistas e a reforma da previdência, o ordem agora é destruir o Ensino Médio. Alegando construir uma escola mais interessante e que atenda à modernidade, o que o novo ministro da educação propõe é um verdadeiro absurdo!

Leia o texto completo em Blasting News BR

Leia mais:

Curta nossa página no Facebook: Atualidade em Foco